8 de outubro de 2011

UM BRINDE À POESIA - PELA PAZ E LIBERDADE DE SER (12 ANOS)

UM BRINDE À POESIA - PELA PAZ E LIBERDADE DE SER (12 ANOS)


"CELEBRAÇÃO AO SER CRIANÇA"



Aconteceu dia 08 de outubro de 2011, das 15 às 19 horas, o evento "Um Brinde à Poesia" de
Lucília Dowslley, o evento foi recheado de muitas atrações, e foi muito aplaudidos pelo público presente, amigos e personalidades do mundo artístico fluminense estiveram lá e viram  a fantástico  talento da multi-apresentadora. E por sua competência e luta em prol a cultura. O Focus a homenageia no MÊS DE OUTUBRO.  O FOCUS esteve lá e clicou tudo para você. Confira a matéria na íntegra.









LUCÍLIA DOWSLLEY
(foto-Ulisses Franceschi)

Poeta, fotógrafa e atriz, nascida em Niterói, no Rio de Janeiro.

Lançou em 11 de junho de 1999, o Um Brinde à Poesia Movimento pela Paz e Liberdade de Ser, inspirado em sonho. O símbolo de projeto é a foto da estátua de um Anjo tirada, em 1998, no Central Park. Mensalmente a escritora promove saraus, tendo inclusive já se apresentado no Paraguai, Nova York e Nova Jersey. Comemorando cinco anos do Movimento lança seu primeiro livro de pensamento, foto e poesia com o título Um Brinde à Poesia.

Trabalha nas seguintes atividades: Fotografia - Jornalismo – Designer Gráfico – Produção Cultural – Artes – Literatura – Educação - Teatro

Graduação em Jornalismo – Faculdade Hélio Alonso
Web designer e Designer Gráfico– CEIMPRO

Oficinas de Teatro e Montagem de Peça Teatral, com os diretores Françoise Fourton (1997), Ana Maria Nunes (1997/1998), Marcio Trigo (2003/2004), Marcelo Aquino (2009/2010), entre outros.

PRINCIPAIS FATOS BIOGRÁFICOS (A PARTIR DE 1997):

1997 - Trabalhou no Jornal Verbo & Imagem da Fundação de Artes de Niterói

1997 - Se apresenta pela primeira vez como poeta num evento literário, no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno.

1997 – Participa, como atriz, da montagem Crônicas Pantagruélicas do Infame Rabelais, de Ana Maria Nunes, no Teatro Municipal de Niterói e no Teatro Glauce Rocha, interpretando cinco personagens.

1997/1998 - Trabalha como Fotógrafa da Bloch Editores, fazendo fotos externas e em estúdio, um deles o PROJAC da Rede Globo, registrando cenas de novelas.

1998 - Viaja para Nova York pela primeira vez e fotografa O Anjo, no Central Park, imagem revelada em sonho para ser símbolo do Um Brinde à Poesia.

1997/1998/1999 - Monta a Cia Teatral Máscaras com jovens entre 17 e 25 anos.
Escreve, dirige e produz Viajando nas Páginas Musical Infantil, no Museu do Ingá e no SESC Niterói.

1997 - Escreve, dirige, atua e produz Flashes & Folhas projeto multimídia reunindo poesia, fotografia, teatro e música, retratando a realidade dos moradores de rua contrastando com a harmonia da natureza, no Plaza Shopping, na Estação Livre Cantareira, em Niterói e no Espaço La Folie, em Botafogo. Nesta ocasião trabalha como voluntária do projeto Pró criança, dando aulas de teatro e tirando meninos das ruas.

1999 - Trabalha com publicidade na Revista Portos e Navios.

10 de maio de 1999 - Sonha com toda a idéia do Um Brinde à Poesia e no dia 11 de junho faz o lançamento num sarau homenageando Fernando Pessoa e Vinícius de Moraes, reunindo 60 pessoas e distribui a primeira edição da revistinha literária, que chegou a ser publicada até o número 65.

1999 a 2002 - Apresentou o Um Brinde à Poesia em bares e Espaços Culturais da cidade de Niterói, entre eles: Museu do Ingá, Clube dos Advogados, Teatro da UFF.

2003/2004 - Apresenta Um Brinde à Poesia mensalmente na Livraria Ver & Dicto, chegando a ter 80 pessoas reunidas por noite. Lançando seu primeiro livro Um Brinde à Poesia, fotos pensamentos e poesia, numa edição independente com tiragem de mil exemplares.

2005 - Viaja para Nova York e fica lá durante seis meses. Recebendo o convite para relançar o livro na sede da Seicho-no-ie, em Nova York e em Nova Jersey. Recebe o incentivo do diretor da UBNY (União Brasileira de Escritores de NY) e dos jornais Comunidade News, Brazilian Voice e Brazilian Press.

2006/2007 - Inaugurou e dirigiu o Ateliê do Poeta, em Itaipu, Niterói, participando da Rota das Artes e promovendo workshops, palestras, espetáculos e exposições.

1999/2011 - Criação, produção e apresentação do evento cultural Um Brinde à Poesia, com edições nos principais espaços culturais da cidade de Niterói, com passagem em Nova Jersey, Nova York e Paraguai,

2000/2011 - Aulas de Informática, Teatro e Criação de Textos para crianças (3/10 anos), no Jardim Escola Sementinha Iluminada e CIEP Várzea das Moças.

1999/2011 - Oficina de Criação e Interpretação de texto e teatro, para jovens e adultos.

2009 - Participa da montagem teatral Cabaret Wilde, como atriz, com poesias próprias inseridas no espetáculo (Salomé), no Solar de Botafogo.

2010 - Criou e coordenou a Sala Fala Poeta, no Centro de Niterói, onde acontece mensalmente o sarau pocket/clube de leitura Coração Poético.. Espaço que utiliza também para ministrar as Oficinas de Criação e como estúdio fotográfico.

Exposição Fotográfica:

Flashes & Folhas – Novembro de 1997, Ateliê Art Center, São Francisco Niterói. Plaza Shopping e Estação Livre Cantareira, Maio de 1998. Espaço Cultural La Folie, Botafogo, Agosto de 1999. Encontro pela Paz e Liberdade de Ser, Paraguai, novembro de 2000. Exposição multimídia, com projeção e performance poética, apresentando fotos de moradores de rua de várias cidades como Rio de Janeiro, Nova York, Niterói, Teresópolis, entre outros, contrastando belas paisagens naturais. Dia Mundial da Fotografia - Sociedade Fluminense de Fotografia – Coletiva, 2001. Um Olhar Sobre Niterói, fotos em homenagem aos 428 anos de Niterói. Sala José Cândido de Carvalho. Luzes do Som, SESC Niterói, maio de 2003. Fotos de shows de Moska, Biquíni Cavadão, Joana, Luciana Mello, Alceo Valença, Frejat, entre outros. Curando Desirré Monjardim, setembro de 2004, coletiva, Espaço Cultural MODA, Ingá, Niterói. COLETIVA – Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, abril de 2006. Espírito das Ruas, fotos de Nova York, julho de 2006, Ateliê do Poeta, Itaipu, Niterói. Natal Feliz, coletiva, Barra Vento Center, Piratininga, dezembro de 2006/2007. Niterói Poética, Livraria EDUFF, Icaraí, Niterói, Novembro, de 2008. Um olhar sobre Niterói, FLUP – Casimiro de Abreu, maio de 2011.

Outra atividade da artista é desenvolver souvenir e brindes a partir das composições de foto e poesia. Entre eles: camisetas, canecas, imãs, chaveiros, pôsteres, quadros, postais, entre outros. Participou da criação de souvenir para o catálogo Souvenir Rio Niterói, lançado pelo SEBRAE/SENAC, em 2008.




MAC
Museu de Arte Contemporânea

MAC
MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA



O Museu de Arte Contemporânea de Niterói (abv. MAC ou MAC Niterói ou MAC Nit) é um museu sobre localizado na cidade Niterói, Rio de Janeiro, no Brasil. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o MAC tornou-se um dos cartões-postais de Niterói. Destina-se principalmente a obras pertencentes à arte contemporânea, todas datadas ao decorrer do século XX. Apresenta desde artes abstratas até obras retratando a ilusão da Monarquia Brasileira. O museu possui um acervo de 1.217 obras da Coleção João Sattamini.[1]um conjunto reunido desde a década de 1950 pelo colecionador João Sattamini, constituindo a segunda maior coleção de arte contemporânea do Brasil.

Localizado sobre o Mirante da Boa Viagem, na orla de Niterói, o museu com sua fachada futurística possibilita que o visitante desfrute de vistas panorâmicas que se lhe oferecem quer fora do museu, a partir do pátio, quer dentro do museu por um olhar pelo anel de janelas que divide este gigantesco prato de concreto em duas faixas.

O MAC ainda disponibiliza atividades educacionais, dentro outros, desde 1996, chamadas de Desafios Comunicativos da Arte Contemporânea, com o intuito, segundo a administração do museu, de incentivar a "produção artística contemporânea, que se coloca exposta em um espaço público onde circulam indivíduos não pertencentes ao mundo da arte."





Banner
"Um Brinde à Poesia"


Palco para a apresentação do evento






Lucília Dowslley
apresentando o evento,
que foi cheio de atrações musicais, poesias
e performances poéticas.
O evento é divido em vários momentos:

1 - Lucília Dowslley, apresenta seus textos,
e fala sobre o "Um Brinde à Poesia"

2 - Fábio Pereira toca músicas dele,
e de outros autores.

3 - Poeta homenageado
Maria Helena Latini

4 - Poetas Convidados:
Naldo Velho
Teresa Mello

5 - As crianças lêem
poesias infantis.

6 - Canja Poetica
(onde quem está na platéia
tem direiro de ler textos
de sua autoria ou de outros)

7 - Faz-se um Brinde à Poesia
(os presentes podem apreciar
deliciosos salgados e beber
o delicioso Vinho Toso




Fábio Pereira
Músico que sempre acompanha Lucília nos eventos



Teresa Mello
falou uma poesia do livro
Ângela e Antônio
da Maria Helena Latini


Teresa Mello
aqui falando um poema
de sua autoria

Lucília Dowslley
chamando ao palco o escritor Naldo Velho
e logo após a escritora
Maria Helena Latini

Escritor Naldo Velho
falando poesias do livro
Ângela e Antônio de M.H. Latini


Escritora Maria Helena Latini
falando suas poesias, e logo após
fez o re-lançamento do livro
ÂNGELA E ANTÔNIO

Poesias de Maria Helena Latini

Sala de leitura

Sorvo
minhas letrinhas
e me aguço.
Quente é o prato.
Refinada e fria,
a articulação da trama
para matar a fome
insaciável
de palavras



Instante

Para longe de mim,
as sombras da intemperança.
Hoje,
mastigo
a essencia de tempo
com avelãs.
Predestinado momento
este:
pirilampo enquanto
acende.

A palavra

A palavra
é feita de
som e sopro.

Vestida de sentidos,
recolhe em si
o silêncio.



O quarteto se apresentando são:
Bia, Diogo, Luan
e Arthur Freitas
eles falaram poesias infantis
do saudoso poeta Vinícius de Moraes
em comemoração ao dia da criança







A escritora Telma Moreira, mora no Rio de Janeiro
 esteve presente ao evento.




As crianças Bia, Diogo, Luan e Arthur
leram as poesias de
Vinícius de Moraes.
entre as poesias infantis 
de Viníccius destaque para:
- Leão
- A Casa
- A foca
- O gato
- O relógio


Arthur Freitas
lendo a poesia O relógio
de Vinícius de Moraes



A Casa


Vinicius de Moraes


Era uma casa muito engraçada

Não tinha teto, não tinha nada

Ninguém podia entrar nela, não

Porque na casa não tinha chão

Ninguém podia dormir na rede

Porque na casa não tinha parede

Ninguém podia fazer pipi

Porque penico não tinha ali

Mas era feita com muito esmero

na rua dos bobos numero zero 


 



O Leão

Vinicius de Moraes


Leão! Leão! Leão! Rugindo como um trovão
Deu um pulo, e era uma vez
Um cabritinho montês

Leão! Leão! Leão! És o rei da criação

Tua goela é uma fornalha
Teu salto, uma labareda
Tua garra, uma navalha
Cortando a presa na queda
Leão longe, leão perto
Nas areias do deserto
Leão alto, sobranceiro
Junto do despenhadeiro

Leão! Leão! Leão! És o rei da criação

Leão na caça diurna
Saindo a correr da furna
Leão! Leão! Leão! Foi Deus quem te fez ou não
Leão! Leão! Leão! És o rei da criação

O salto do tigre é rápido
Como o raio, mas não há
Tigre no mundo que escape
Do salto que o leão dá

Não conheço quem defronte
O feroz rinoceronte
Pois bem, se ele vê o leão
> Foge como um furacão

Leão! Leão! Leão! Es o rei da criação
Leão! Leão! Leão! Foi Deus quem te fez ou não

Leão se esgueirando à espera
Da passagem de outra fera
Vem um tigre, como um dardo
Cai-lhe em cima o leopardo
E enquanto brigam, tranqüilo
O leão fica olhando aquilo
Quando se cansam, o leão
> Mata um com cada mão



O Relógio

Vinicius de Moraes

Passa o tempo tic, tac, tic, tac passa a hora
Chega logo tic, tac, tic, tac, vai-te embora,
Passa tempo bem depressa
Não atrasa nem demora, Que já estou muito cansado,
Já perdi toda alegria
de fazer meu tic-tac, tic, tac, dia e noite, noite e dia,
tic, tac, tic, tac, dia e noite, noite e dia
Tic-tac-tic-tac-tic-tac, tic-tac...
Blom!













Os poetas Sérgio Gerônimo e

Mozart Carvalho
fizeram uma performance da poesia deles
URBANOSEMCAUSA
(o título é assim mesmo todo junto,
para ter duplo sentido)
veja se você consegue descobrir
os dois títulos)







Louise Hug
(cantora)
a artista interpretou o poema
Canto Triste - Vinícius de Moraes


Leia o texto

Canto Triste

Vinícius de Moraes



Porque sempre foste
A primavera em minha vida
Volta pra mim
Desponta novamente no meu canto
Eu te amo tanto mais
Te quero tanto mais

Ah, quanto tempo faz
Partiste como a primavera
Que também te viu partir
Sem um adeus sequer
E nada existe mais em minha vida
Como um carinho teu
Como um silêncio teu
Lembro um sorriso teu
Tão triste

Ah, luar sem compaixão
Sempre a vagar no céu
Onde se esconde a minha bem-amada
Onde a minha namorada
Vai, diz a ela minhas penas
E que eu peço, peço apenas
Que ela lembre as nossas horas de poesia
As noites de paixão
E diz-lhe da saudade em que me viste
Que estou sozinho
Que só existe meu canto triste
Na solidão

Dulce Maria Noronha
(do renomado grupo  UNIVERT)
leu a poesia Escrever - Monteiro Lobato










Escritora Rosângela Goldoni


Poetisa Ângela Chagas


Ana Regina
Declamou a poesia Fio de prumo
de Maria Helena Latini



Os artistas Rollo (voz) e



Jonathan Ferr (teclado),
foram os convidados especiais
e apresentaram o musical
Cinco Buarques de Hollanda,
são cinco músicas
de Chico Buarque de Hollanda
 com uma nova versão
da dupla





Escritora Zeneida Apolônio Seixas


Dulce Maria Noronha






(ângulo frontal - platéia)



4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ficaram ótimas as suas fotos.
    E sob a forma de reportagem pode-se bem avaliar a qualidade do evento.
    Parabéns!

    O comentário anterior foi apagado tendo em vista um erro de digitação.

    ResponderExcluir
  3. O evento parece ter sido espetacular. Crianças sempre é um espetáculo. Parabéns pelo trabalho. Tuela Lima - Portugal

    ResponderExcluir
  4. Prazeiroso fazer esse "Brinde à Poesia"!
    Esse, em especial, às crianças talentosas, à todas as crianças (nossa fé no futuro) e a cada uma que vive dentro de nós!
    Parabéns pela cobertura perfeita!

    ResponderExcluir