14 de outubro de 2011

O EVENTO MÚSICA COM POESIA NA LAPA - CURADORIA TELMA MOREIRA

MÚSICA COM POESIA NA LAPA - CURADORIA DE TELMA MOREIRA




Aconteceu dia 13 de outubro  de 2011 das 19 às 23 horas o evento Música com Poesia, no Centro Cultural Memórias do Rio, à Rua Gomes Freire, 289 - Lapa - Rio de Janeiro - RJ.
O Evento foi recheado de atrações, teve até personalidade internacional e foi uma noite memorável, quem esteve presente ao evento sentiu-se maravilhado. Música com Poesia é um evento altamente cultural e está a cada dia adquirindo uma legião de poetas e escritores. Telma Moreira é quem apresenta este tão grandioso trabalho. Ela é uma verdadeira simpatia.O FOCUS esteva lá e trouxe as imagens para você. Confira logo abaixo.





Telma Moreira
Escritora e Curadora
Música com Poesia



Serginho do Cavaco
Músico


Valdir Ramos - Poeta
Telma Moreira - Escritora



Luiza Caetano - Escritora de Portugal
Telma Moreira e Vania Viana - Escritora


O trio aqui são os poetas:
Valdir Ramos
Paulo César Coelho
Alberto Araújo


Afonso Estebanez - Escritor



Ângela Chagas - Poetisa
Leda Lúcia - Escritora e Atriz







Luiza Caetano - Artista Plástica




Poetisa e Artista Plástica, nascida a 21 de junho na Venda do Pinheiro – Mafra - Portugal
Desde sempre fascinada pelas artes, frequenta alguns cursos, nomeadamente cerâmica, azulejaria, e pintura. Viaja pelo mundo onde visita os grandes museus ao mesmo tempo em que se enriquece no contacto com outros artistas e talentos que a motivam.
Os seus fetiches passam pela enorme admiração a Frida Khalo, Botero, Paula Rego, Amália Rodrigues, Florbela Espanca e Fernando Pessoa que em humilde homenagem retrata em algumas das suas obras.
A sua primeira exposição acontece exatamente na catedral da pintura Naif de Portugal - galeria de arte do Casino Estoril, onde continua a expor até hoje, quer na arte permanente, quer nos salões anuais.
Esta visibilidade inicial permite-lhe convites para outras exposições em Portugal e no mundo, onde já participou em centenas de individuais e coletivas, das quais destaca:

Exposições individuais:
Galeria B. Tejo - Lisboa - 1999
Espaço cultural “AOA”-faro Algarve - 2000
Galeria Quinta das Cruzadas - Sintra -2000
Centro cultural de Belém (coisas do arco do vinho) - Lisboa - 2001
Espaço Amália Rodrigues - Lisboa - 2001
Galeria Municipal Câmara Municipal do Barreiro - 2002  
Instituto Camões – Bruxelas - Bélgica -2002 -
Espaço vip - Cascais - 2002
A 4 galeria Jacques Ardies - S. Paulo Brasil - 2003
A 4 ( Gallery Center – Amoreiras – Lisboa 2003
Galeria Caos Odivelas 2003 -
Mian - Museu Internacional Arte Naif do Brasil Rio janeiro - 2003  
Galeria do Turismo de Sesimbra - 2004
Museu Paschoal Carlos magno de Niterói – Brasil -2004 –





POESIA DE LUIZA CAETANO


DEDOS DE CHUVA


Sou dona dos carinhos
dos olhos e das mãos

das algas e dos cabelos
que cantam dentro de mim,

Sou dona da chuva e do vento
dos caminhos e dos sonhos,
das pérolas por garimpar

algures para além do mar

Tudo o que tenho não cabe
no meu frágil coração

Por entre os dedos da areia
despudoradamente vagueia
um sangue de solidão.

Luiza Caetano





Telas de Luiza Caetano
















Luiza Caetano e Rosângela Goldoni



Vânia Viana - Poetisa de Maceió- AL



 Nancy Cobo - Escritora
e Jerusa Perez Estevez - Escritora




















Alberto Araújo
Poeta e mediador do FOCUS, aqui lendo
o seu poema da noite.


Dois anjos constelados


Dizem que:
são dois anjos
cobertos de nuvens brancas
e com as aureolas consteladas

Bocas e vestígios
camafeus, ouros e anéis de saturno

- Nas plácidas paisagens
enveredam – asas mansas

Insistem:
são dois anjos
cobertos de luzes
- dádivas de Deus

Perfeitas formas
e completudes
- corações em temperanças finas

Após a chuva
sentam sorrindo
líricos & destemidos

Insistem outra vez:
são dois anjos
cheios de amor & beijos

E no final revelam:
_ Eu e você/músicas decifradas

©by Alberto Araújo
13-10-11




Nancy Castro Cobo - Poetisa e Escritora
aqui ela está lendo sua poesia



SINTO


Sinto a tua presença quando acordo
Sinto o toque das tuas mãos quando o sol toca a minha pele
Sinto o gosto do teu beijo quando fecho os olhos
Sinto você dento de mim quando durmo e te encontro no sonho

Sim, só te encontro no sonho e lá voamos alto
Nos deliciamos um no corpo do outro
Bebemos o nosso mel
Eu o teu e você o meu...

O que um dia foi mais do que real
Hoje temos o sonho para sentir, amar, gozar
para tentar ser feliz.
Sim tentar... pois falta um pedaço do meu coração que você levou
E eu fiquei com o pedaço de seu coração que você deixou

Como posso viver sem ter meu coração por inteiro...


Nancy Cobo
Escritora e poeta
divulgadora de todas as artes
Membro Acadêmico da AVSPE - virtual

visite o site da escritora





 
Shirley Lopes - Poetisa
aqui está lendo o seu poema




O POETA E O AMOR


Ah! O poeta empresta o seu espírito
E o leitor experimenta o sentimento em tempo
De amor nos poemas mais líricos

O poeta é um fingidor sim senhor
E ele finge o que deveras sente na alma
Não existe nada numa poesia
Que antes não tenha passado
Primeiro pelos sentidos - e o poeta

Finge sim senhor o que na verdade é o amor
E o poeta verte os sonhos mais intensos
Com gosto de eternas verdades

Shirley Lopes
Poetisa e Artista Plástica

Caros Foculistas visitem o blog da Poetisa ShirleyS




Gerusa Perez Estevez - Poetisa


Rosângela Goldoni - Poetisa



Valdir Ramos - Poeta
aqui ele está lendo o poema dele.



OLHEI A NOITE

Olhei a noite e o que vi?
eu vi lua e estrelas.
No meu silêncio contido
egoísta, eu quis tê-las.
Eu quis ter a noite
tão formosa e tão bela.
e a ti ofertaria.
toda a beleza dela.
Quis o céu formoso e lindo
salpicado de constelações.
sob esse céu tão belo
cantar-te-ia canções.
Quis ter a lua prateada
que no infinito flutua,
para dar-te, minha amada,
és tão bela quanto a lua.
Quis ter todas as estrelas,
todas para te ofertar;
o brilho de todas juntas,
não superam teu olhar.


Valdir Barreto Ramos
Cônsul de Poetas Del Mundo - Niterói - RJ

visite o site do poeta:





Paulo César Coelho - Poeta e Escritor
aqui o poeta está falando o seu poema



FÚRIAS DE UMA SAUDADE


De cabaça na mão, Sol nos cabelos
Puxando da água fresca e profunda
Flores de um sonho todas úmidas

Segue o poema com seus cavalos
Altas muralhas das serras
Todas marchadas em selas
Não esra Selma nem era Vera
Se não, a fúria de uma saudade.

De cabaça na mão, Sol nos cabelos
Puxando lágrimas do peito fecundo
Cavalga num sonho úmido, o poeta
Flores em punho invés de espada
Cortam muralhas, segue o poema...


Texto premiado com primeiro lugar (Menção Honrosa)
no Primeiro Concurso de Poemas Brasil - Portugal,
promovido pelo instituto de Cultura Manoel Antônio
de Carvalho (MAC) em BH.
com a participação do Clube da Língua Portuguesa,
também em BH

Paulo César Coelho
Poeta e Escritor
visite o site oficial deste poeta




Diana Balis - Poetisa e Escritora
Autora do livro Signo do Amor - Poemas /  Blogtok




EU ESTIVE LÁ E CLIQUEI TUDO..




                                                    


5 comentários:

  1. Bom dia Alberto!
    Seu Portal está um espetáculo rapaz!
    Parabéns pelo belo trabalho!
    Sucesso!

    Abraço!

    Angela Chagas

    ResponderExcluir
  2. Foi mesmo uma festa para a minha alma. Estar rodeada de gente tão linda cujos diálogos eram feitos de poesia e muito carinho. Inesquecível! Quero aqui (já em terras portuguesas) registar um louvor pela amizade que de todos recebi e da qual me sentirei sempre penhorada. Quando voltar (se voltar) quererei ir aí abraçar toda a gente com esta tanta saudade que já me invade.

    Igualmente saudar a autoria deste maravilhoso blogue que, de forma jornalística e poética é mais um profundo e cultural gesto de divulgação dos poetas e artistas que fazem de seus encontros uma festa de poesia, alegria e saudável confraternização.

    Agradecer sensibilizada o gesto que a mim tocou de forma distinta.

    Aceitem o meu maior reconhecimento.

    Carcavelos - Portugal com muito amor

    ResponderExcluir
  3. Ah...esse tempo que me escapa! Imperdoável por mim, ao me roubar as palavras...Embora silêncio não se lê, talvez deixe seu perfume no vazio... Mas, minha alma certamente se prendeu aqui, nesse espaço, por brancos dias, esperando pelo sorriso que passeou pelo colorido desse caminho na promessa de voltar...Vim me redimir e deixar expresso todo meu agradecimento e encanto! E parabenizá-lo pelo belo e talentoso trabalho!
    Pra você, meu afeto e carinho!

    ResponderExcluir
  4. André Luiz Borges de Lima22 de janeiro de 2012 21:00

    Alberto, me emocionaei em ver postada a obra de a Raimundo Zurel, um cara espetacular que peitou o conservadorismo dessa sociedade hipócrita durante sua vida, sem deixar sua veia poética pulsar... Um cidadão exemplar no mais profundo do significado.. Só pra começar, um milico ante-ditadura... Tenho orgulho de ser seu neto (e sempre disse, agradeço de forma singela sua homenagem em nome da família Borges. Prestes a fazer um ano de sua partida, imensa é a saudade que só uma pessoa como ele pode causar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André,

      Por onde você anda meu amigo ???

      Como está a família ??

      Forte Abraço,
      LEIZ

      Excluir