5 de setembro de 2012

CONVERSA LITERÁRIA ACADEMIA NITEROIENSE DE LETRAS NEIDE BARROS

 
SEDE DA ANL - NITERÓI - RJ
pintura Bico-de-pena - Miguel Coelho


Um dos eventos mais importantes da Academia Niteroiense de Letras acontece na última quarta feira de cada mês: é o projeto “Conversa Literária”. Na realidade, um bate-papo legal e descontraído, com escritores, poetas e historiadores. E o objetivo é deixar que o público conheça mais profundamente o entrevistado, um dos membros da Casa, com isso colaborando para que o escritor popularize mais a sua arte literária. Assim sendo, nessa interação, explicitando seu processo criativo, o escritor pode se familiarizar integralmente com seu público; os trabalhos têm a mediação do escritor Gilson Rangel Rolim. E neste dia 29 de Agosto, a Niteroiense trouxe uma das personalidades marcantes do mundo cultural fluminense, a professora, declamadora, poetisa, cantora, esperantista Neide Barros Rêgo. A renomada poetisa, com admirável simplicidade e atenciosamente, respondeu todas as perguntas que lhe foram dirigidas.



PRIMEIRAMENTE ASSISTA AO FILME COM AS IMAGENS DO EVENTO
FEITO PELO FOCUS - PORTAL CULTURAL
 

 
Filme do Conversa Literária da Academia Niteroiense de Letras
com a poetisa, declamadora Neide Barros Rêgo, e a trilha sonora com as músicas
Adágio -Albinoni, Lied Der Mignon - Tchaikowsky
interpretadas por Neide, em eventos os quais se apresentou.

SEQUENCIAL DE IMAGENS DO EVENTO
Presença de 14 acadêmicos titulares e 13 visitantes. Ao abrir a sessão, a presidente Márcia Pessanha solicitou aplausos pelo aniversário do vice-presidente Jorge Fernando Loretti, (25/8) e um minuto de silêncio por conta do falecimento da jornalista Lou Pacheco (22/8). A marcante presença dos contrastes... O mediador iniciou sua atuação com a leitura de dados biográficos da entrevistada. Em função do que lhe foi indagado, Neide Barros Rêgo discorreu sobre a antologia Água escondida, por ela organizada, publicada em 1994, na qual reuniu textos de 234 poetas nascidos e/ou radicados em Niterói. Falou da influência paterna em sua formação cultural, de como se ligou à poesia e da importância de Maria Sabina em sua vida. Sob a orientação da saudosa poetisa e declamadora, diplomou-se em Arte de Dizer. Seguindo os passos da mestra, fundou, em 1961, o Curso Maria Sabina, do qual se originou o Centro Cultural Maria Sabina. Embora se dedique à poesia, declarou maior afinidade pelo canto. Tanto a poesia quanto a música não fizeram parte de sua formação básica, no Grupo Escolar Olegário Maciel, em sua cidade natal – São Tomás de Aquino (MG). Uma e outra somente se incorporaram ao seu viver ao se mudar para Niterói. Relativamente ao esperanto, defende-o como fator de integração e busca aperfeiçoar-se cada vez mais no idioma. Entre seu projetos literários, está o de concluir a biografia Maria Sabina, suas memórias, nossas lembranças. Quanto ao que ainda não fez e gostaria de ter feito, cantar acompanhada de uma orquestra. Neide também relembrou alguns recitais de música e de poesia dos quais participou, disse da emoção que sentiu ao ser agraciada com o título de “Cidadã Honorária de Niterói”, comprometeu-se a, em 2013 – ano em que a “Casa de Horácio Pacheco” completará 70 anos de fundação, organizar um recital com poemas de patronos da ANL. Após responder às perguntas, Neide Barros Rêgo declamou, de sua autoria, o soneto “O relógio”. O Focus - Portal Cultural esteve presente e trouxe as imagens para você leitor Foculista que não teve a oportunidade de participar do grandioso evento. Confira.
Márcia Pessanha - Pres. ANL
momento em que inicia as atividades


Momento em que os acadêmicos
fazem 1 minuto de silêncio em memória
a jornalista Lou Pacheco, falecida 22/08.

Acadêmicos e convidados
ouvem atentamente Gilson lê o perfil de Neide

Gilson Rolim - Mediador
momento que faz a leitura do
perfil biográfico da Neide Barros.

Neide Barros, Gilson Rolim e Edel Costa
momento em que Gilson Rolim lê o perfil de Neide Barros

Mineira da cidade de S. Tomás de Aquino, sul de Minas, nossa entrevistada de hoje comprova que esta Casa abriga um grande número de niteroienses por adoção. É o caso de Neide, que detém o título de cidadã honorária, tendo aqui chegado em 1951. Professora por formação, poetisa e declamadora, fundou em 1961 e dirige o Centro Cultural Maria Sabina, de quem foi aluna, e da qual recebeu o diploma em Arte de Dizer.
Nesta instituição promove eventos lítero-musicais, em que se apresenta também como cantora lírica que é. Além de sua atuação no campo da literatura e da música, dedica-se ao Esperanto, integrando as seguintes instituições a ele ligadas: Associação Universal de Esperanto (membro vitalício e delegada especializada em poesia e declamação), da Liga Brasileira de Esperanto, da Associação dos Esperantistas do Rio de Janeiro, da Cooperativa Cultural de Esperantistas e do Clube de Esperanto de Niterói. Possui trabalhos em Revistas de Esperanto, do Brasil e da Bulgária. Nossa entrevistada Integra o quadro efetivo das academias Fluminense de Letras (Classe de Belas-Artes); da Nacional de Letras e Artes; é titular desta Casa, Academia Niteroiense de Letras, ocupando a cadeira 38, patronímica de Raul de Leoni; e da Academia Barbacenense.
Além destas, integra muitas instituições culturais brasileiras na condição de honorária ou correspondente; é, também, membro da Associação Niteroiense de Escritores. Por sua atividade no campo das artes é verbete Enciclopédia de Literatura Brasileira, de Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa. Possui, entre outras, as medalhas José Clemente Pereira e José Cândido de Carvalho, conferidas pela Câmara Municipal de Niterói; a medalha Tiradentes, pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro; a medalha Duque de Caxias, pela Federação das Academias de Letras do Brasil; a medalha Joaquim Nabuco, pela Associação Fluminense de Belas-Artes e pelo Instituto Histórico e Geográfico de Niterói; moções da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, da Câmara Municipal de Niterói e da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.
Organizou e publicou, em 1994, a antologia Água escondida, reunindo 234 poetas. Publicou, em 2004, o livro de poesias Revelação. Organizou e publicou, com Gracinha Rego, a antologia poética Girassóis para Neusa (2003). Traduziu para o esperanto e publicou, em 2004, o livro infantil La adiauo de la armiloj (Oadeus das armas), do acadêmico Salvador Borges Filho, obra ilustrada pelo artista plástico Miguel Coelho. Traduziu para o esperanto poemas seus e de muitos outros poetas tais como: Maria Sabina, Drummond, Jacy Pacheco, e o conto “Amo stranga amo”(“Amor, estranho amor”), de Rinaldo Brandão). Em 2007, publicou com o poeta esperantista Sylla Chaves, a antologia Brazila Esperanta (em esperanto) e Poesias Escolhidas do Brazila Esperanto Parnaso (bilíngue).
Este é, de forma bem resumida, um histórico de nossa colega Nei de Barros Rêgo, que a partir deste momento, estará à disposição dos aqui presentes, para responder ao que lhe for perguntado sobre seu trabalho cultural.


as personalidades presentes
ouvem o mediador Gilson Rolim
lê o perfil biográfico de Neide Barros



Neide e Gilson

Gracinda Rosa, Antônio Soares,
Leda Mendes Jorge
Marcia Pessanha
ouvem atentamente Gilson Rolim
lê o perfil de Neide Barros

Antônio Soares, Leda Mendes Jorge, Marcia Pessanha
e Nilde Barros irmã de Neide registra tudo.





Neide responde todas as perguntas

Plateia ouve atentamente Gilson Rolim
falar do perfil de Neide Barros

Alunas de Neide Barros Rêgo
do CCMS
ouvem atentamente sua entrevista, e a personalidade
(de casaco marrom) Matilde Carone Conti- acadêmica

Antônio Soares - escritor
momento que faz a sua pergunta è entrevistada

saiba mais do escritor:

O Focus - Portal Cultural
têm a satisfação de convidar você leitor Foculista
para o lançamento do livro

OUÇAM-ME, POR FAVOR! ESTOU AQUI!
e outros contos ilustrados
de ANTÔNIO SOARES
será no Hall do Clube Central (Praia de Icaraí)
no dia 05 de setembro às 19 horas




Momento que em Marly Prates
faz sua pergunta à Neide Barros

Neide Barros Rêgo
momento da sua entrevista






Nilde Barros Dauana
Irmã gemea de Neide Barros Rêgo

Antônio Puhl - acadêmico e professor

Dr. Conti - Advogado
neo acadêmico do CFHL
também presente ao evento

Alberto Araújo - mediador do Focus
neo acadêmico do CFHL.

Marcia Pessanha - Pres. ANL
momento que faz sua pergunta a Neide Barros

Nilde Barros Dauana
irmã gemea de Neide Barros

Neide Barros Rêgo
declamando a poesia "o Relógio".

Gilson Rolim - mediador
CONVERSA LITERÁRIA

Gracinda Rosa - escritora
momento que faz sua pergunta a Neide Barros


Bruno Rangel Pessanha - escritor e acadêmico
momento em que faz perguntas a Neide Barros

Dr. Jorge Fernando Loretti - Vice-presidente da ANL
momento que faz sua pergunta a entrevistada



Carlos Silvestre Mônaco - Grupo Mônaco de Cultura
quando faz perguntas a entrevistada
Luzia Velloso e Neide Barros



Alberto Araújo e Neide Barros

Nilde, Neide e Marly Prates
Neide Barros Rêgo - entrevistada
Ocupante da Cadeira 38
na Academia Niteroiense de Letras


Professora, poetisa, declamadora, cantora, esperantista. Trabalhou na Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Após trinta anos de serviço, aposentou-se no cargo de Consultor Legislativo. Na cidade do Rio de Janeiro / RJ, estudou Arte de Dizer com a poetisa Maria Sabina, no Curso Olavo Bilac, tendo sido diplomada em declamação e dicção. Cursou Administração Pública (na Fundação Getúlio Vargas), Cerimonial (no Palácio do Catete), Administração (na Faculdade de Ciências Administrativas de Barra Mansa / RJ).

Transferiu-se para a Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro, porém não concluiu o curso. No Curso Olavo Bilac, sob a orientação de Maria Sabina, estudou Literatura Universal. Tendo por professores Jair Salles, Emílio Ferreira e Sylla Chaves, estudou Esperanto. Atualmente, é diretora de cursos do Clube de Esperanto de Niterói. Sob a orientação de Aloísio Sartorato, prossegue em seus estudos sobre o mencionado idioma. Participou da Oficina Literária Neusa Peçanha. Na Academia Fluminense de Letras, com a acadêmica Albertina Fortuna Barros, estudou dicção. Tendo Malba Tahan como professor, cursou “Arte de ler e de contar histórias”.
Cursou, também, Teatro (curso básico), na Escola de Teatro Comédia do Estado da Guanabara; Balé clássico, na Escola Martins Pena, com Lélia do Vale Simões, supervisão de Tatiana Leskova; Balé clássico, moderno e folclórico, no Conservatório de Música de Niterói, com a professora Frieda Alonso; Violão, com Celso Ribeiro; Impostação de voz e dicção, no Conservatório de Música Frédéric Chopin, dirigido por Cloris Galvão Menezes; Canto lírico, com Masha Tchecova Kellner (a partir de 1998, com Therezinha de Maria Carvalho Pinto) e Formação de atores em comerciais de televisão, com Manduca Quadros.
Fundou, em Niterói, no dia 24 de junho de 1961, o Curso Maria Sabina, de Arte de Dizer. Participou, no município do Rio de Janeiro, em 1984, com as declamadoras Lise Saint-Clair Pimentel, Dora Nascimento Cambeiro e Sônia Maria Ribeiro, do Grupo Momento, cujas atividades foram encerradas em 1986. Com Marly Prates, Aparecida Barreto e Gracinha Rego, todas residentes em Niterói e diplomadas pelo Curso Olavo Bilac, de Arte de Dizer, integra o Grupo Nuance, criado em 1985.
Em Niterói, criou e dirige, desde 1961, o Centro Cultural Maria Sabina, no qual leciona e promove a realização de palestras, homenagens, oficinas literárias, laboratório de memória, cursos livres de aperfeiçoamento, lançamentos de livros / CDs e recitais de música e poesia. Integra os quadros das seguintes instituições literárias: Academia Fluminense de Letras – Classe de Belas-Artes (efetiva), Academia Niteroiense de Letras (acadêmica titular), Academia Nacional de Letras e Artes (efetiva), Academia de Letras de Conselheiro Lafaiete (emérita), Cenáculo Fluminense de História e Letras (honorária), Instituto Histórico e Geográfico de Niterói (honorária), Academia Brasileira de Trova (honorária), Academia Itaocarense de Letras, (honorária), Academia Gonçalense de Letras, Artes e Ciências (honorária), Academia Petropolitana de Poesia Raul de Leoni (honorária), Academia Itapirense de Letras (honorária), Academia de Letras Menotti Del Picchia (honorária), Academia Barbacenense de Letras (correspondente), Academia Cachoeirense de Letras (correspondente), Academia Ponta-Grossense de Letras (correspondente), Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências (correspondente), Ateneu Angrense de Letras e Artes (correspondente), Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa (correspondente), União Brasileira de Trovadores / seção Niterói, Associação Niteroiense de Escritores, Sindicato dos Escritores do Estado do Rio de Janeiro, Grupo Mônaco de Cultura, Universidade Aberta da Terceira Idade, Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro, Associação Universal de Esperanto (membro vitalício e delegada especializada em poesia e declamação), Liga Brasileira de Esperanto, Associação dos Esperantistas do Rio de Janeiro, Cooperativa Cultural de Esperantistas e Clube de Esperanto de Niterói. Detentora de inúmeras premiações como intérprete e/ou autora de poemas nos idiomas português e esperanto em concursos no Brasil e no exterior (Bulgária, Holanda e Rússia). Participações em comissões julgadoras de textos e de interpretação em concursos de poesia promovidos por academias de letras, faculdades, colégios, associações e pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.
Foi agraciada com o “Diploma de Melhor do Ano nas Artes Fluminenses”, concedido pela Universidade Brasileira de Artes, que a reconheceu como melhor declamadora em 1966. Recebeu o Título de Cidadã Honorária de Niterói, as Medalhas José Clemente Pereira e José Cândido de Carvalho, conferidas pela Câmara Municipal de Niterói, o Diploma e a medalha Tiradentes, pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, a Medalha do Mérito Acadêmico Austregésilo de Athayde, pela Academia de Letras e Artes de Paranapuã, a Medalha Duque de Caxias, pela Federação das Academias de Letras do Brasil, a Medalha Joaquim Nabuco, pela Associação Fluminense de Belas-Artes e pelo Instituto Histórico e Geográfico de Niterói, o Diploma e Medalha de Personalidade Feminina Anita Garibaldi, pelo Instituto Multidisciplinar de Pesquisa Acioli Reunidos, moções da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, da Câmara Municipal de Niterói e da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.
Em 2010, foi eleita, pelo Grupo Mônaco de Cultura, Intelectual do Ano em Niterói. Possui textos publicados em revistas acadêmicas e em antologias no Brasil, Portugal, Itália, Bulgária, Holanda e Rússia. A partitura de sua composição para o poema de Lázaro Luiz Zamenhof “Ho, mia kor” (“Oh, meu coração”) foi publicada no Japão. Integrou a comissão de redação da Revista da Academia Fluminense de Letras – Volume XVI.
Organizou e publicou a antologia Água escondida, da qual participaram 234 poetas niteroienses. (Editora CBAG, Rio de Janeiro. 1994). Publicou os livros Posse de Neide Barros Rêgo na Academia Barbacenense de Letras (Editora La Place, Niterói, 1999), Posse de Neide Barros Rêgo na Academia Fluminense de Letras, Editora Folha Carioca, 2005) e Posse na Academia Niteroiense de Letras (Editora Nitpress, Niterói, 2010).
Organizou e publicou, com Gracinha Rego, a antologia poética Girassóis para Neusa (Niterói, 2003). No ano 2004, lançou o livro de poesias Revelação (Editora La Place, Niterói). Traduziu para o esperanto e publicou o livro infantil La adiaŭo de la armiloj (O adeus das armas), do médico e acadêmico Salvador Borges Filho, obra ilustrada pelo artista plástico Miguel Coelho (Editora Cooperativa Cultural dos Esperantistas, Rio de Janeiro, 2004).
Traduziu para o esperanto poemas seus e de outros poetas tais como: Maria Sabina, Carlos Drummond de Andrade, Carlos Alberto dos Santos, Jacy Pacheco, assim como o conto “Amo, stranga amo” (“Amor, estranho amor”), de Rinaldo Brandão), publicado em revistas do Brasil, da Suíça e da Rússia. É verbete na Enciclopédia de literatura brasileira, de Afrânio Coutinho e J.Galante de Sousa, no Dicionário biobibliográfico de escritores contemporâneos do Estado do Rio de Janeiro, de Eduarda Zandron, e no Dicionário biobibliográfico de escritores brasileiros contemporâneos, de Adrião Neto.
Gravou, em fita de vídeo, para o projeto coordenado por Lauro Gomes de Araújo, diretor cultural da Associação Atlética Banco do Brasil/Niterói, o 51º depoimento da série “Personalidades de Niterói” quando foi entrevistada pelos escritores e membros da Academia Fluminense de Letras, Edmo Rodrigues Lutterbach, Armando Vaz e Marly Prates. Declamou na Academia Brasileira de Letras, na Academia Fluminense de Letras, na Academia Niteroiense de Letras, na Sala Cecília Meireles, na Associação Brasileira de Imprensa e em teatros, clubes e faculdades. Declamando e cantando, apresentou-se em teatros, auditórios e salas de concerto de Brasília (DF), Fortaleza (CE), Natal (RN), Campo Grande (MS); Belo Horizonte, Barbacena e Juiz de Fora (MG); Vitória (ES), São Paulo e Ribeirão Preto (SP), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS). Em Arouca (Portugal), declamou poemas de autores brasileiros e lusitanos. Em Viena (Áustria) e Montpellier (França), em congressos esperantistas, declamou em esperanto e integrou o Coral Internacional, sob a regência do maestro búlgaro Dimitar Terziev. Integrou o Coral Alceu Amoroso Lima, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Em Niterói, como solista, cantou no Teatro Municipal João Caetano, no Teatro da Universidade Federal Fluminense e no Teatro da União dos Professores Primários do Estado Ainda como solista, apresentou-se no Teatro Câmara Torres, em Angra dos Reis (RJ), no auditório da CEFET – Centro Federal de Ensino Técnico de Campos, Campos dos Goytacazes (RJ), no Teatro do SESC- Belo Horizonte (MG), no Teatro Deodoro, em Maceió (AL) e no Teatro da Assembleia Legislativa de Porto Alegre (RS).





**************************



CAROS LEITORES FOCULISTAS
ASSISTAM A ESTA ENTREVISTA COMPLETA
EM DVD-PALESTRA - BREVE NA ANL, AGUARDEM...

 

Um comentário:

  1. NEIDE BARROS RÊGO5 de setembro de 2012 23:14

    amigo Alberto Araújo, se você não existisse, seria preciso inventá-lo.
    Que belo serviço você está prestando ao movimento cultural de Niterói, especialmente ao acadêmico!
    Com esmero, capacidade e dedicação, você valoriza os eventos. Divulgando-os, proporciona aos que não compareceram a oportunidade de tomarem conhecimento do que aconteceu. E, a nós, de revivermos momentos de emoção.
    Eu estava muito preocupada com a entrevista, mas os meus colegas acadêmicos e amigos que estiveram presentes foram generosos nas perguntas e nos comentários a meu respeito.
    Gostei muito das fotos. Muito obrigada por ter melhorado as minhas. (rsrsrs).
    Outra coisa que me agradou profundamente e me surpreendeu foi ter colocado duas músicas de que gosto muito na trilha sonora. E na minha voz!... Fiquei muito feliz. Você aproveitou a voz do Edmo lendo um trecho da tradução da música que cantei em alemão: "Só quem conhece a saudade sabe o quanto sofro".
    Vou enviar o link aos meus contatos, de Niterói, de outras cidades e... até do exterior!
    Aproveito para agradecer sua presença e a excelente cobertura que fez da Conversa Literária, bem conduzida por Gilson Rolim, na Academia Niteroiense de Letras, na última quarta-feira de agosto, dia 29, quando fui eu a entrevistada. Gostei do resumo que ele fez de minha biografia e da súmula da reunião feita pelo competente secretário da ANL Wanderlino Teixeira Leite Netto.
    Tutkore (de todo o coração, em esperanto)
    Neide Barros Rêgo


    ResponderExcluir